domingo, 24 de abril de 2016

fim-de-semana - III


aveiro | portugal


daqui, encontro os erros, meus 
conhecidos, a abandonarem o modo 
condicional dos verbos, sem saudade. 

daqui, da esquina viva do engano, 
do inusitado aperto no peito 
e da estranha urgência do suspiro, 
a cidade parece, casualmente, 
mais pequena para a miríade 
de criaturas e dos seus predadores, 
todos da mesma espécie, meus iguais. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Mais um post, com uma bela inspiração da tua cidade...
    Gostei imenso do poema, e a imagem super harmoniosa, repleta de elementos diversos, mas muitíssimo bem distribuídos...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar