domingo, 10 de abril de 2016

saber quem


aveiro | portugal


saber quem se é, depois da cerca, 
para além do horizonte que se traz 
vestido. a recursividade da noite, 
a prerrogativa de prezar, sem prazo, 
o despojo de uma resolução de termo certo 
e o autocontrolo de um céu encoberto. 
vejo-o dentro das ondas que me observam 
no céu, onde todas as coisas se encontram 
e eu me perco no encontro de cada vez 
mais perguntas intactas, mas resolutas, 
ou no brilho excessivo dos candeeiros
da rua. 


 [palavras relacionadas]



Sem comentários:

Enviar um comentário