segunda-feira, 11 de abril de 2016

tentei, de várias formas


aveiro | portugal


tentei, de várias formas, escrevê-lo, 
com todos os seus silêncios, 
com poejos opiniosos nas palavras, 
mas é tão tarde, noite, e eu não quero, 
quero, o encanto de poder viver 
a quietude que visto, visto, e vejo 
sobre a margem integral 
da linha difusa de um futuro: 
janela de olhos vendados 
e paisagens de vários sonhos; 
asas de penas cruzadas 
e de voo subterrâneo; 
horizonte por inventar, 
mas que existe na porta 
aberta, aberta a magia,
ainda existem outras formas. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. E... como sempre... de uma forma admirável... por entre olhares e palavras... deste a conhecer mais um pouco, da tua belíssima cidade... palco de tantas emoções...
    Excelente trabalho, como sempre!
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar