sexta-feira, 1 de abril de 2016

no regresso a casa…


aveiro | portugal


pensavam que já tínhamos descoberto tudo. 
nós vimos de tão perto para encontrar o assombro, 
arriscar nos instintos, decifrar os sentidos. 
descobrimos novíssimas coisas nas velhas fachadas 
das casas de arte nova, ou de outras artes, 
alimentando a luz do seu exterior, ao puro encontro 
da sua solidão, dos seus silêncios. sei que, 
a seu tempo, alimentamos as sombras e admiramos 
as fundações, na estridência do achado, 
no regresso a casa. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. E em cada regresso, carregamos novos achados do nosso dia, bons e maus... que nos seguem para todo o lado...
    Como sempre um belo momento poético... e mais um recanto belíssimo e inspirador do tua cidade...
    Bjs! Virei por estes dias, espreitar mais alguns posts, dentro da minha disponibilidade...
    Ana

    ResponderEliminar