segunda-feira, 2 de maio de 2016

a insuficiência de ficar


aveiro | portugal


a insuficiência de ficar invisível ou eclipsado. 
essa procura de sossego que aparenta castigar 
e castiga. eu não sei se me prendi. bem sei 
que os dias se rasgam. mas, estou aqui, na lua, 
a trocar abismos entre um lugar de fome e outro 
de alheamento, onde a noite nos devolve e às 
sombras. é quando estas mais nos doem. 
mas é, também, através delas, que me agarro 
ao aforismo de sorrir. e sorrio, generosamente. 
o ruído do mundo passa por mim, atravessa 
o meu corpo. por vezes, falamo-nos. ele diz-me 
qualquer coisa e eu qualquer coisa lhe digo. 



 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. E quando ficar é insuficiente... alheamo-nos... para nos permitirmos chegar a outro lugar, onde se preferiria estar... penso que será essa ideia que procuraste transmitir...
    Excelente imagem, de enquadramento perfeito... onde os contrastes entre presente e passado, são impressionantes... mas harmonizam-se muito bem, visualmente...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar