sexta-feira, 13 de maio de 2016

durante o sono


aveiro | portugal


no letargo da noite, emerge o teatro de sombras 
que nos dissemina entre universos e fantasias.  
não sei se haverá alguma fé que nos possa valer. 
as letras soltam-se das palavras. misturam-se 
com certos sentimentos que vem acompanhados 
de porções de tempo, lugares, coisas, pessoas. 
a natureza planeia baralhar os sinais das tribos, 
que adquirem uma nova verdade com a distância. 
geralmente, as noites não são exactamente iguais 
e tudo pode acontecer entre o sono e a vigília. 
um bom sonho pode ser uma breve recompensa 
e, por vezes, estás neles, fulgente, fundamental. 
tens, certamente, as tuas razões para aparecer 
assim. razões que são, possivelmente, a minha. 


 [palavras relacionadas]

1 comentário:

  1. Durante o sonho... o sono... será mesmo o veiculo, e a recompensa... que nos permite sentir os sonhos... com a precisão da realidade...
    A imagem... excepcional!!!!! E o poema... uma bela imagem em palavras...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar