quinta-feira, 12 de maio de 2016

no exacto momento de adormecer


fotografia de grafite, águeda | aveiro | portugal


surge a tua imagem. observo as primeiras palavras. 
não é o teu nome, são os afectos a adquirir formas 
de letra, com as sensações crescentes e o instinto. 
na parede, que não existe, projectam-se as sombras 
dos nossos corpos. brotam flores dos meus dedos. 
estás, na humana dimensão do eterno, em mim. 


 [palavras relacionadas]


4 comentários:

  1. Juntando o titulo... com a tua última linha... está tudo dito!!! O resultado é brutal!!!!
    Posso-te pedir emprestados o teu título, e a última linha?... Para colocar lá na minha chafarica, com um link para aqui... evidentemente???? Sou super fã de frases curtas... e a junção de ambos... é simplesmente sublime e perfeita!!!
    A imagem... também está super bem escolhida, para o poema em questão!
    Mais um post do melhor, por aqui!...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar
  2. olá, Ana Freire!
    :) podes levar.
    obrigado, pelos comentários, sempre generosos, e pela presença assídua.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, Henrique!
    Depois quando colocar por lá, aviso-te, então!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  4. Obrigada, Henrique!
    Depois quando colocar por lá, aviso-te, então!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar