terça-feira, 17 de maio de 2016

transparência carnal





examino a parte concreta do sonho, 
observo a peça consistente do teu nome 
e analiso a ausência dos teus gestos, 
para os quais invento umas mãos. 
das linhas das minhas, surgem as palavras 
relacionadas, seriamente grávidas: 
não há uma tristeza para estancar. 
na contracapa dançamos em corpo, 
ao ritmo de uma melodia azul, 
nos mistérios penetráveis do espaço 
e na assimetria do tempo. tudo poesia. 



 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. um sonho à transparência... em poesia e imagem.... e num ritmo bem harmonioso... algures entre a sombra e a luz...
    Mais um post admirável, por aqui!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar