domingo, 1 de maio de 2016

“dia da mãe”


coimbra | portugal


o domingo entrou por mim dentro,
com o céu a escorregar-me no rosto.
o céu tem andado escorregadio,
eu tenho andado arredio, não tenho
notícias do mar e a ria foi uma sombra
parada, entre as minudências dos cais.

não precisei de dizer nada à minha mãe.
bastou um olhar, um abraço e dois beijos,
para a conversa ficar em dia. o resto:
foram boas palavras de enchimento
que os afectos dispensam
e a sociabilização aprecia.


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Simples, assim... na aparência da forma...
    Imenso... em termos de conteúdo!...
    Fantástico post!... Um dos melhores que me foi dado a apreciar, por estes dias, em relação ao tema em questão...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar