domingo, 22 de maio de 2016

solidão - actualização.


portalegre | portugal


estou convencido de que, a pior das solidões, 
aquela que mais nos corrói, é a que ocorre 
quando não se está, efectiva e afectivamente, 
sozinho; aquela à qual nos sujeitamos 
por aparentar ser a escolha mais assertiva; 
aquela que atravessamos inteiramente 
lúcidos e por inteiro. é a nossa própria pele. 
através dela, tudo, em redor, se torna 
mais espesso e incessível. entendo que, 
com o tempo, se possa sucumbir, 
quando sucumbir é a derradeira esperança 
e aparenta ser o caminho; ou, que, para aliviar 
a amargura, se invente um mundo melhor 
e sonha-se… 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Acho que não será a primeira imagem, que vejo por aqui, com uma terminação do telhado, assim bem idêntica... que me faz lembrar uma mão apontando/indicando/mostrando algo... e da qual gosto imenso!
    Sem dúvida, que a pior das solidões... é a que poderá decorrer de escolhas assertivas... lá está... nunca será a razão... que faz bater o coração...
    Belíssimo poema, como sempre por aqui, Henrique!
    Espero vir durante a semana, com mais disponibilidade, apreciar mais alguns posts, por aqui...
    Entretanto tenho um novo ambiente no pc, para me familiarizar nos próximos dias... este pessoal anda sempre a inventar novidades... :-( E o velhinho XP... ainda continua a deixar-me tantas saudades!...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar