sábado, 7 de maio de 2016

encontrar o ritmo


portalegre | portugal


encontrar o ritmo táctil e o refrão das tuas mãos; 
conhecer o encantamento e a carícia dos teus lábios, 
alcançar o rumor e a conversação dos teus beijos… 
guardar-te num gesto de poesia onde só se é livre. 

o amor não é a procura do sossego que nos castiga, 
é o litoral, do silêncio e do burburinho, dos afectos; 
o interior e a passagem íntima à flor da pele; o vento 
com todas as marés; um rio com todas as noites e dias. 

assim, abraço a tua ausência, que entra pela janela 
frágil e insone, fazemos amor com o ritmo da espera 
e fico como sal da tua pele num recanto do teu corpo. 

…descobrir a madrugada no teu olhar e a existência, 
sem conjecturas ou inquietações com a curvatura 
do espaço e do tempo, e inventar-nos lentamente. 


 [palavras relacionadas]


Sem comentários:

Enviar um comentário