sábado, 14 de maio de 2016

sair do sono


aveiro | portugal


há dias de ócio que já nascem prometidos 
a uma carga de trabalhos. e, entre despertar 
no bulício das palavras, ou acordar no burburinho 
dos sentimentos, ou sair abruptamente do sono, 
envolvido em vórtices de emoções e vocábulos,  
penso em ti e em como as minhas mãos te vêem, 
sílaba a sílaba, enquanto o sol se ergue, sedutor 
e como um fogo frágil, que alimenta os nossos tons. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. A nostalgia de alguns dias... que nos passam adormecidos... onde o sol, nem sempre se ergue... mas de alguma forma, está sempre lá... disposto a brilhar, para nós, num outro dia...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar