quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

bem




desço das cruzes pela língua viva. 
bem sei que é relativo, o bem, para dar 
sentido a comunicação da expressão global. 
mas não é condicional, eu quero estar bem. 
não aceito o mal que me possam oferecer, 
ou desejar, e desejo, de bom grado, o dobro 
do bem que me desejam. eu quero o bem. 
eu quero-te bem e todo o bem. vem! 
mas se o bem for partir: que partas bem 
e eu bem hei-de ficar com o bem comum 
e com o bem que eu, mal ou bem, hei-de 
inventar. eu só quero o bem, que pode não 
residir no bem-estar e estar, mais longe, 
ainda, da fé. 


 [palavras relacionadas]

2 comentários:

  1. muito positivo, o bem gera o bem...
    gostei muito!
    beijos
    :)

    ResponderEliminar
  2. Ui... se o bem e a fé andassem de mãos dadas... nem teria havido a Santa Inquisição... ao serviço dos mais pura essência e requinte da malvadez humana... e há muito cristão... que é mesmo uma vergonha, para a fé de Cristo...
    Gostei imenso do poema... desejar o bem... é a pura essência do amor...
    Muito poucos estão desejando amar o próximo... talvez mais ignorar, arrasar, esquecer... nos tempos que correm... infelizmente!
    Beijos
    Ana

    ResponderEliminar