sábado, 30 de janeiro de 2016

derradeira decisão



finjo que o sol se afunda no mar 
para sustentar o sonho de o poder salvar 
logo pela manhã, enquanto ainda voo fresco. 
mas, já encontro dias em que me falham as forças 
e, entre a espada e a parede, o que quero e não posso, 
agarro-me a ironia de, estúpida e despudoradamente, acordar. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Acordarmos por fora... e não adormecermos por dentro, a grande batalha de todos os dias...
    Mais um dos teus... e meus posts preferidos, por aqui...
    Palavras e imagem, numa simbiose perfeita!
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar