sábado, 30 de janeiro de 2016

madrugada





no recolhimento da madrugada, exposta 
à geada em acto peregrino que lhe colhe 
a dimensão, absolvia o dia e o corpo. 
a madeira do corrimão da escada entoou 
um qualquer queixume que entrou, como 
um intruso, no meu sonho recursivo e antigo 
de uma casa que só nos sonhos existe. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Pois gostei desta madrugada, que se impôs, sem pedir licença aos sonhos...
    Adorei o enquadramento da imagem, talvez só acentuasse mais um pouco, os contrastes da mesma, para melhor se apreciar os relevos da arriba, e a ondulação...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar