sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

espessura


Barra - Gafanha da Nazaré - Ílhavo [Aveiro]


confesso que não sei o que é mais fácil: 
atravessar a espessura da luz do dia 
ou a espessura da escuridão da noite. 

apetece-me dançar e ser a dança. 
há uma melodia difícil na distância, 
um tempo próprio, um próprio espaço
e a luz própria, que não avança. 

há magia nos meus dedos, 
primavera no meu corpo, 
e eu poderia ser o mar de sonhos 
dentro de ti, na tua alvorada. 
ou poderias entrar na minha noite 
e ser a minha amada, sem medos, 
a traçar o meu destino. 


 [palavras relacionadas]


4 comentários:

  1. por vezes na imaginação do Poeta tudo se transforma...

    muito belo!

    :)

    ResponderEliminar
  2. Também não consigo decidir-me entre o dia e a noite - há dias que "nunca mais acabam" e dias que "voam"; há noites intermináveis de insónia, pesadelos, ... que se prolongam por hora e horas e há noites de "um sono só" - quem sabe se à custa de algum narcótico.
    Versos de grande beleza - a dança é bela!

    Bom fim de semana.

    Desejo que o Novo Ano traga dias muito felizes.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  3. Tudo é possível, aos versos ... e aos amantes :)
    Belíssimo!

    ResponderEliminar
  4. De que tamanho será a espessura do que é inatingível, que se torna em perto de mais?...
    Bem... o verdadeiro amor nunca reconhece barreiras... apenas descobre caminhos...
    Adorei a imagem, um enquadramento fantástico! E as palavras, claro!...
    Belíssimo post!... Mais um...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar