quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

se, porventura, procurares


praia da barra
[praia da barra | ílhavo | aveiro | portugal]


sim, conheço os sentimentos de esferovite. 
o pior é vê-los a esboroar nos reflexos dos olhos 
de quem finge passear nos nossos sonhos. 
basta-me essa dor de ver sepultar as palavras. 

sim, conheço os sentimentos de posse 
que conduzem a lugares sem regresso 
e sem tempo, que fingem ser o único 
destino e nos cegam, ou alheiam, o futuro. 

desejo mais ser do que temo parecer. 
há muitas formas de dizer que te amo 
num sempre tempo de amar 
e eu estou no avesso das minhas palavras. 
estou nos gestos, do lado de fora dos espelhos. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário: