terça-feira, 26 de janeiro de 2016

pentagrama


Kandinsky, Wassily
pintura de Kandinsky, Wassily - Composition VIII. 1923. Óleo sobre tela*



preencho o pentagrama de linhas paralelas, vazio, 
disponível para a relatividade, com outros símbolos: 
palavras à solta, de duração perene e tempos de estação. 

por momentos, escrevo-me em notas fora da pauta, 
sem letra, num som difuso que é a tua voz. 

talvez eu possa ser a clave e tu o instrumento… 

ou talvez eu nos confunda sem padrão, onde as notas 
são os nossos sentimentos, em carícias que se encontram 
entre semibreves e semifusas, num compasso 
que é o nosso próprio passo de figuras sem partitura. 



 [palavras relacionadas]


*
   a legenda contém atalhos para mais informações sobre o pintor e o quadro.


1 comentário:

  1. (Andei a saltitar, nos comentários, como quem não quer deixar os poemas sozinhos.)
    Mais um belíssimo poema, Henrique.
    Bjks

    ResponderEliminar