quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

tacto




talvez não saiba tactear-te, 
enquanto procuro a raiz da ilha 
entre as raízes das palavras, 
e tenha eu raízes que me fixam aqui, 
como a saudade da cidade, 
a trezentos e cinquenta e seis poemas 
do fim do prometido processo. 
mas traz as histórias, traz a pele, 
e, se for uma questão de raízes, 
também elas as têm e há espaço 
entre as minhas. 


 [palavras relacionadas]


2 comentários:

  1. Um verdadeiro voo... de palavras e sentidos.

    ResponderEliminar
  2. Haverá palavras que nos prendem... outras dão-nos asas e fazem-nos voar...
    Uma coisa é certa... sendo asas ou raízes... as palavras fizeram e fazem a nossa história... e são mesmo a nossa segunda pele.
    E como sempre por aqui... uma imagem e um poema admiráveis... onde a leveza se associa à profundidade, de uma forma impecável...
    Beijos
    Ana

    ResponderEliminar