quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Breviário [XV]


   A jornada precipitou-me para a orla do precipício. Abismo!

   À beira do abismo coloco um espelho, não para me poder contemplar mas, para, quando o pretender, poder ver mais chão em frente.

5 comentários:

  1. Estou aqui há um bocado a olhar. Já pensei coisas sem fim e nenhuma delas interessará muito, coisas minhas... Sabes que me sinto assim. Mas eu é queda na certa, porque já parti o espelho e não tenho mais folga... Mas como diz Nietzsche olhamos o abismo e ele olha-nos de volta... A mim encanta-me de tal forma que é impossível a queda e caio feliz. Talvez lá em baixo uns braços negros, frios, hediondos me esperem, mas quiçá não serei feliz. E a esta altura já me estarás a chamar maluca. Beijinhos obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  2. Nem o abismo nos leva a algo mau. E sempre dentro do abismo existe um caminho por trilhar.

    ResponderEliminar
  3. Verniz Negro:
    Por vezes, muitas vezes no teu blogue, também fico assim. Por vezes, o que leio diz-me tanto, ou fico tão maravilhado, que não sobra espaço para dizer mais nada. Aqui será mais pela mediocridade...
    Obrigado!
    Bem-haja!

    ResponderEliminar
  4. 2linhas:
    Sabes, por vezes sinto exactamente o contrário, mas o teu entusiasmo é contagiante.
    Beijinhos


    ;)

    ResponderEliminar
  5. Olá! vinha agradecer-te o comentário que me deixaste e dizer-te que é verdade por vezes sinto-me ridícula a comentar-te porque denoto uma qualidade que não tenho e tenho medo de não consefuir interpretar ou alacançar com as minhas interpretações mas o que te digo é sincero o que penso e acho, portanto continuarei se me deixares a ter o grande prazer de te ler e se por acaso alguma vez "passar ao lado do real sentido" desculpa mas eu entendo e subentendo os sentimentos como também os experimento e neles ponho as minhas ideias o que realmente penso. Só tenho mesmo a agradecer-te as palavras que nem sabes vêm numa altura em que me deixaram de rastos... E assim é bom saber que nem tudo é mau. Beijinho com carinho. E quanto ao baismo eu sempre fui um pouco estranha. Sempre me atraiu o que não agrada a outros... Ou custa-lhes perceber que o encanto nem sempre está no palpável, no evidente.Tudo de bom.

    ResponderEliminar