quarta-feira, 2 de novembro de 2011

E hoje… (XII)


     …As ciladas giram numa rotunda de espelhos côncavos.

     Confirmo que, célere, passaram vários anos e testemunho que ando em círculos, cada vez mais cingidos. As mesmas decorrências, derivações e verdades de facto. Atalhos e desvios, retalhos e fracções semelhantes. A certeza de ter vivido no passado a situação actual.

     Retorno, eterno retorno.

4 comentários:

  1. De certa forma, sim. Aqui é mais a certeza e menos a sensação ou impressão de. É um "retorno" algo próximo do conceito de Nietzsche, mas não propriamente igual.

    ;)

    ResponderEliminar
  2. Olá. Temos tantas vezes essa sensação que andamos às voltas e de retrocesso ao princípio. Mas talvez seja uma certa melancolia dentro de nós pelos lugares e sentimentos já experimentados, querer revivê-los, revisitá-los...Ter a experiência daquele momento no agora. Talvez não esteja a ver bem e peço desculpa se sou inconveniente. Um beijinho e bfsemana!

    ResponderEliminar
  3. Não és inconveniente e vês com os olhos de quem escreve e sente.

    Bem-haja!

    ResponderEliminar