quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sei lá!


«Sei lá!»


Eu sei, mas lá.
Aonde?
Nem eu sei pá!
Onde!?

Eh, lá! Na pauta, …Lá!
Encontrei-o afinal!
Bom, não me parece.
Esse é de cá,
E o outro é algures, sem sinal,
Um qualquer sítio que me esquece.

E, porque a dúvida me aperta,
O «sei lá!» é
Em parte incerta,
Em algum lugar,
Mas não “aqui ao pé”.
Remoto, inatingível. No mar?
Improvável, vago,
Sei lá!
(Mais uma folha que esmago!)
Épa!
É possível que alguém saiba…
Eu não sei!
E quero saber. Que raiva!
Aonde é que ainda não procurei?

Hum…Sei lá! Sei lá!

19 de Janeiro de 2007

4 comentários:

  1. E quem pode saber? Apenas tu ;)

    ResponderEliminar
  2. Espectacular. a isto chamo "brincar com as letras" de forma inteligente e inspirada. Adorei até por gostar imenso de ler este tipo de "trocadilhos". A sério está maravilhoso. Bem feito, bem escrito adorei e agradeço imenso a sua visita. Tb tenho aqui um blog na blogspot e nunca me habituei a vir aqui escrever mais como no Sapo... O que faz de mim uma palerma não sei ou(sei, lá!) Beijinho grande e abraço apertado. Bom resto de semana. Tudo de bom!!!

    ResponderEliminar
  3. Obrigado, Verniz Negro!

    Não me parece que seja uma palerma, uma palerma não escreve assim.

    Bem-haja!

    ResponderEliminar