terça-feira, 22 de novembro de 2011

E hoje… (XV)



     ...Atenuo a carga decisiva dos símbolos, ainda são visíveis os moldes e os modelos. Com clareza, descrevo a dimensão da unidade da transparência. Não me falta determinação.


     Homógrafos, esses esses da curva, os caracteres e eu, transformado num Atlante de pedra calcária. Exposto a corrosão, carrego nos ombros o peso de vários estratos de dúvidas metódicas, numa mobilidade arquitectónica. A autenticidade destes signos é avalizada no interior, e por desígnio, do difusor: Eu.


4 comentários:

  1. Que a tua lucidez e determinação te permitam avaliar correctamente.

    ResponderEliminar
  2. Quem me dera isso mesmo...Determinação! Sou uma estátua também de pedra, mas só aparente. Por dentro sabe Deus...Mas é a vida. Beijinhos como sempre...Magnífico!!! Bom resto de semana obrigada pela tua visita.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado, 2linhas!
    Tudo de bom para ti.

    ResponderEliminar
  4. Conheço parte da tua determinação, Verniz Negro: És determinada na escrita!


    Obrigado!

    ResponderEliminar